Adeus felicidade! Porque fazes o que não gostas e abdicas do que adoras? CategoriesBlog · Coaching · Psicologia

Adeus felicidade! Porque fazes o que não gostas e abdicas do que adoras?

A felicidade, ao contrário do que parece, não é o tema do momento. O que aconteceu é que, num determinado momento da vida, a humanidade decidiu a dar-lhe um papel secundário. Como tal, colocou a felicidade numa caixa (daquelas com uma inscrição a dizer “Frágil”) e arrumou-a num local de difícil acesso para ser preservada e, eventualmente, esquecida.

A felicidade não é o tema do momento, porque sempre o foi. O que aconteceu foi que nos esquecemos de como ser felizes. Hoje, com o desenvolvimento pessoal no centro, vou-te lembrar o que podes fazer para ser feliz! Sim, porque isso é uma escolha!

Educados pela obrigação

No início da tua vida o incentivo era para fazeres o que gostavas, ao longo do tempo, enquanto crescias, foste programado(a) para te dedicares ao que não gostavas. A iniciativa, a realização pessoal e o prazer foram substituídos pela obrigação.

Começou pela escola, para a qual havia a obrigação de ir. Continuou no teu trabalho, onde adquiriste a obrigação de fazer. Eventualmente passou para a tua vida pessoal, onde muitas vezes te sentes na obrigação de ser.

No fundo foste educado(a) pela obrigação, com pouca margem para a tua liberdade, criatividade e felicidade. Curiosamente três das competências mais importantes para o sucesso.

 

O lado tangível da “felicidade”

Durante este percurso começaste a conhecer aquele que é o lado tangível da “felicidade”. A ideia de ser possível comprar e vender felicidade foi desenvolvida de uma forma tão sedutora que levou as pessoas a acreditarem que tal é possível.

Carros, moradias, smartphones, viagens, bónus de produtividade, são nomes de uma lista infindável de coisas que as pessoas acreditam que lhes irão trazer felicidade. O problema é que isso não é possível.

Não é possível comprar felicidade e não é possível vende-la porque a felicidade não é uma coisa, não é um objeto. A felicidade é um estado emocional e só pode ser criada, desenvolvida e vivida por ti.

 

A ignorância da multidão

Durante um evento, já reparaste que apesar de existirem múltiplas saídas há uma tendência natural para que muitas pessoas optem pela mesma saída. Isso acontece porque nós assumimos que a opção da maioria é a melhor. E se não for?

Este é um dos fenómenos que tem ajudado em muito a alimentar e manter a crença generalizada de que dedicarmo-nos a algo que não gostamos é a moeda de troca para comprar felicidade.

É o status quo que tem vindo a ser mantido porque simplesmente, no meio da multidão, se torna quase impossível perceber que há outras opções. Que há uma saída!

A ilusão do futuro ideal

O conceito da luz ao fundo do túnel é inspirador. A esperança de uma vida melhor depois de ultrapassar uma série de momentos negativos tem sido a ancora de salvação de muitas pessoas e é o que faz outras continuarem a avançar no seu dia. Acredito que para muitas pessoas como tu, seja a única fonte de motivação que têm para se levantarem de manhã e abdicarem de fazerem o que realmente gostam.

A grande ironia da atualidade é que, apesar de hoje todos os túneis serem iluminados e muitos deles terem múltiplas saídas, tu continuas a acreditar que quando entras num túnel da tua vida ele será negro e só terá uma saída.

Já pensaste que podes, por exemplo, trazer a felicidade para o teu trabalho e assim iluminar o túnel? Já ponderaste dedicar o teu tempo a algo que realmente te faça sentir bem e assim criar múltiplas saídas? Já pensaste que podes ser feliz agora?

 

Criar felicidade em 3, 2, 1……Ação!

Quando falamos em felicidade as definições, embora sejam múltiplas, assentam em três perguntas base. É hábito colocá-las durante as sessões de coaching que dou e as respostas são interessantes.Três perguntas que, quando respondidas, permitem dar um novo vigor à tua vida, à tua felicidade.

1. O que não gostas e queres parar de fazer

– Define uma lista objetiva de tudo aquilo que queres parar de fazer hoje (Lista 1)
– O que essas ações estão a trazer para a tua vida?
– Como ficaria a tua vida se as deixasses de fazer hoje?
– Que alternativas tens que te permitam os mesmos benefícios, com mais prazer?

2. O que gostas e queres fazer mais?

– Cria uma lista com pelo menos 6 ações que gostasses de fazer mais (Lista 2)
– O que é que cada uma delas trás à tua vida?
– Ordena-as por nível de importância e impacto positivo na tua vida
– O que te impede de as fazer, quais os obstáculos, e como os vais superar?

3. O que vais fazer hoje?

– Escolhe um item da Lista 1 com o qual vais parar hoje
– Escolhe um item da Lista 2 que fazer mais a partir de hoje
– Assume esses dois compromissos com a pessoa mais importante da tua vida
Avança

Agora a tua felicidade está mais perto, mas ainda há mais. Tenho uma  sessão gratuita para ti na qual te vou ajudar a dar os primeiros passos para alcançares a tua vida ideal. Reserva a tua aqui

Leave a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *