Esgotado(a) e sem ver progresso? A solução está aqui! CategoriesBlog · Coaching · Psicologia

Esgotado(a) e sem ver progresso? A solução está aqui!

Todos anos são marcados por dois momentos. Um deles é o último dia do ano, em que milhões de pessoas, tal como tu e eu, se deixam levar pelo entusiasmo de um novo ano recheado de oportunidades inexploradas, e perspetivam o futuro. Aquele momento em que tudo se torna possível e defines as tuas novas metas e objetivos. Este é um dia fantástico.  

O outro momento acontece quando, passado meio ano e, em alguns casos, depois de muito procurar, voltas a encontrar a tal lista e verificas o teu progresso. Começas a olhar para ela e acontece uma de duas coisas: encheste de orgulho pelo que alcançaste ou deixaste invadir pela consternação de ver “mais uma lista que não passou de uma lista”. Aquele que poderia ser um momento ainda melhor, muitas vezes não o é por uma simples razão: a lista era ótima, mas os resultados não foram os que esperavas.

Isto é o que acontece há maioria das pessoas e há uma alta probabilidade de que tenhas vivido este momento algures no tempo. Diria mesmo que é possível que o estejas a viver agora. Se for esse o caso vou-te devolver a tranquilidade que perdeste. Aliás, vou fazer mais. Vou-te ajudar a avaliar o teu progresso, a adaptar as estratégias que definiste e a avançar para a concretização dos teus objetivos. Sim, aqueles que, por momentos, pensaste estarem perdidos.

 

Vai buscar a tua lista, cria uma ou faz algo melhor!

Ter uma lista, no contexto de avaliação do teu progresso é um bom sinal. Porquê? Bem, é muito simples, se a tens é porque dedicaste tempo de qualidade a fazê-la e isso é excelente. Nesse caso já estás um degrau acima de todos os outros. É importante que na tua lista estejam apenas as tuas prioridades. Lembra-te, o propósito de criar uma lista de objetivos é facilitar a organização de ideias. Para isso há dois fatores a considerar: o impacto positivo que terá na tua vida (identificar o beneficio associado e escolher um valor de 0 a 10 pode ser útil) e o prazo para conclusão (em dias, semanas ou meses).

Mas atenção, ainda não é o momento de celebrar, porque uma lista é só isso….uma lista. Se pensas que por teres um conjunto de palavras/expressões alinhadas numa coluna, vais estar mais perto de as concretizares esquece! Se queres realmente fazer algum tipo de progresso cria um plano. Essa é uma das diferenças entre as pessoas que têm resultados e aquelas que passam a vida atrás deles. E claro, antes de partires para o teu plano, definir claramente qual o objetivo por detrás de cada elemento da tua lista é e-s-s-e-n-c-i-a-l.

Um objetivo tem que ter, no mínimo dos mínimos, e vê isto pela perspectiva de uma preguiça, três características: ser específico (de forma a que outra pessoa saiba exatamente o que queres), ser mensurável (para conseguires avaliar se estás perto ou longe), e ser relevante (tem que ter um significado muito importante para ti). Começar a descrever o teu objetivo por uma ação na primeira pessoa é uma boa ideia, assim começas a interiorizar já o compromisso que vais estabelecer contigo. Acredita, sem um objetivo e um plano o teu progresso fica nas mãos da sorte!

 

Celebra o teu progresso….

De todos os objetivos que tinhas, já identificaste pelo menos um, que tenhas concretizado a 100% até hoje, certo? Agora é o momento de celebrar e de prestares o devido reconhecimento à pessoa responsável por essa conquista: tu! Isso mesmo. Leva o teu tempo e encontra uma forma de celebrar o que tu fizeste.

O que costumo sugerir é construir um Mapa de Conquistas. Um quadro que podes personalizar como tu quiseres, que contém uma foto, um texto, uma recordação de um momento em que tu assumiste um compromisso contigo e o cumpriste. O Mapa de Conquistas é também uma ótima forma de te recordar de que tu és capaz de tudo, sobretudo nos momentos em que as dúvidas surgem.

O passo seguinte é óbvio. A celebração foi boa, agora é tempo de voltar ao trabalho, afinal, ainda há alguns objetivos que vais alcançar este ano e que vão permitir que o teu progresso atinja os 100%. Neste momento necessito da tua honestidade no seu máximo. Isto porque é o momento de fazer um ponto de situação em relação aos teus outros objetivos, sim, aqueles que dos quais estavas quase a abdicar há pouco.

Pensa em cada um deles (aqui aconselho a que escolhas no máximo 2) e escreve todas as ações que já concretizaste. Aproveita e escreve também aquelas que faltam concretizar. Lembra-te, honestidade é a palavra de ordem! Só assim consegues avaliar bem o teu progresso e decidir, com clareza, se vais desistir ou persistir.

 

…. E cresce com as tuas falhas

Falhar é uma parte inevitável do progresso. Nenhum grande feito da história aconteceu sem que antes alguém, uma pessoa como eu e tu, tivesse falhado algumas vezes. Mas atenção, mais do que aceitar a falha como algo natural, o importante é aprender sempre algo de positivo. Ninguém, ninguém mesmo, consegue falhar para sempre se tentar aprender sempre algo de positivo.

Muitas vezes o que te pode impedir de ver o sucesso/progresso dentro de cada falha é olhar para ele como um todo. Muitas vezes perante um erro, uma falha ou um obstáculo, há uma tendência natural para te focares na parte negativa. A tendência aqui é a de enveredar por generalizações (“correu tudo mal”), juntar uma dose de atribuições indevidas (“a culpa foi minha/tua”) e fazer um pouco de futurologia (“eu nunca vou conseguir”). Se isto te acontece, a única forma de conseguires ultrapassar esse momento é identificar aprendizagens positivas que contribuam para o teu progresso e crescimento

Para o fazer com sucesso, importa que comeces a pensar como uma caixa negra de um avião e a lançar questões focadas na solução. O que aconteceu? O que correu mal e bem? Porque correu mal e porque correu bem? O que poderia ter sido feito de diferente? Estes são exemplos de algumas questões que vão começar a desbloquear a tua visão e a tornar mais claro o que fizeste de positivo. Tenta fazê-lo sempre e terás aqui hábito essencial para a promover o teu progresso na direção da vida que queres viver.

 

Adapta-te e alcança as tuas metas!

Evita debater-te com o que poderias ter feito, com as possibilidades que parecem perdidas e com os casos de sucesso dos outros. Nenhuma destas coisas te vai levar em frente. A adaptação é a palavra-chave se queres que o teu progresso seja real. Numa primeira fase importa identificares, para cada objetivo que está ativo, as dificuldades que sentes e os obstáculos que queres contornar!

Aqui a regra dos 20-80 é ouro! O que podes hoje fazer de diferente? Que recursos podes usar para lidar com as dificuldades que sentes? Como podes, agora, contornar os obstáculos que permanecem? O que é que tu podes fazer hoje, por ti? Estas são as perguntas que vão gerar respostas de que necessitas. Para cada dificuldade ou obstáculo, sejam eles externos (p.e. recursos financeiros, logísticos, infraestruturas) ou internos (p.e. capacidades, competências, formas de pensar e fazer), identifica duas ou três soluções. Depois, com mais tempo, analisa qual a mais prática para ti.

Define hoje, agora, para os teus objetivos (3 é o máximo!), as próximas 2 a 3 ações que necessitas de concretizar para fazeres algum progresso visível em direção à tua meta. Estas ações devem ser encadeadas, ou seja, têm que fazer parte de uma sequência lógica, como se fossem degraus de uma escada. Mas atenção, aqui convém dar-te uma palavra de cautela. Nem todas as tuas ações terão o resultado que pretendes, por isso este processo de reflexão-definição-ação tem que estar sempre ativo!

 

O segundo passo!

Ainda tens tempo, possivelmente tens perto de 6 meses, mas isso é hoje! Na verdade nem sequer é uma questão de tempo, é sim uma questão de prioridades e parece-me, agora, que as tuas estão bem definidas.

Agora partilha. Sim, partilha o teu plano com a pessoa mais importante da tua vida: tu! Olha bem para tudo o que escreveste e interioriza o compromisso que estás a estabelecer contigo. Para um efeito ainda maior partilha tudo isto com a segunda pessoa mais especial da tua vida. A tua mãe ou pai, o teu marido ou esposa, os teus filhos, aquele amigo ou amiga, Já agora, se não o fizeste antes, escreve tudo e pede para que também ele, ou ela, assine. Nesse momento, aqui para nós, podes lançar-lhe o mesmo desafio.

Agora sim, agora estás a recuperar toda a energia que tinhas quando pensaste pela primeira vez no que irias, e vais, alcançar este ano. Agora, só falta o segundo passo. Agora, só falta avançar com uma das ações que escreveste à pouca. E vais fazê-lo hoje. Sim, hoje! Não é amanhã, não é daqui a uma semana, é hoje! Mas só se quiseres muito! Só se for muito importante para ti! Eu acredito que é, e tu?

 

Ps: Se quiseres uma ajuda extra, sem compromissos para ti, envia o teu plano para geral@pcerveira-coaching.pt

Em 48 horas terás o meu feedback! Garantidamente!

Leave a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *